terça-feira, 10 de setembro de 2013

Meu lugar



Ainda não te sei completamente, mas já respiro o teu mistério. Tateio no escuro a tua mão, procurando a carícia que ainda não me prometeste mas sei que reservas para a minha chegada. Desconheço os caminhos por que seguiremos, mas não tenho medo: o meu lugar será sempre aonde estiveres.

Aíla Sampaio


Bordado inconcluso


Eu pespontava esperança em nosso amor,
como quem bordava um anagrama num enxoval antigo.
Os nós pouco a pouco foram fechando a passagem da linha,
estancando o fio no linho como quem estanca o sangue na veia. 
O tempo  alinhavou a  nossa vida,
não arrematou as costuras nem apertou os laços;
deixou entrever no bordado inconcluso
a linha frouxa, o ponto quebrado, a relação interrompida.

Aíla Sampaio 






Personagem







Teu olhar me lê,
desvenda as metáforas todas do meu silêncio,
mas não compreende os subtextos dos meus versos.
Neles, a realidade transita entre a verdade e a ficção
quando represento a mim mesma
como um personagem que precisa de palavras
para esconder-se do mundo.

Aíla Sampaio



À espera de um eclipse

Quando ouvi tua voz pela primeira vez, uma explosão de silêncios me fez entender que nunca mais eu seria a mesma pessoa. Teu ros...