quinta-feira, 9 de abril de 2015

De repente


De repente o que era tão importante já não é; o que fazia diferença já não faz; o que movia os ponteiros do nosso relógio já não os move, como se o tempo tivesse estancado tudo o que foi para não mais ser. De repente a vida acrescenta ou elimina personagens da nossa história, alternando posições, remanejando sentimentos, ora nos contrariando, ora nos satisfazendo, mas sempre movimentando a engrenagem da vida e guardando as explicações...

Aíla Sampaio



quarta-feira, 1 de abril de 2015

Finalmente





Eu te esqueci descendo as escadas,
retirando o  pó dos móveis,
olhando no espelho
os sulcos deixados pelo pranto em minha pele.
Da presença à sombra
demoraste muitas  taças de vinho
e  amargurosos poemas.
Foram muitas rezas para desfazer-se o quebranto,
e abrirem-se as fissuras
na carne do tempo.
Finalmente quebraram-se as algemas
e viraste lembrança desbotada num porta-retrato.
Finalmente, veio a vontade assassina de soterrar teu nome
entre os indigentes do meu passado.

Aíla Sampaio

Para não te esqueceres

Para não te esqueceres das verdades que me dizias brincando, há as ruas que não mais atravessas comigo, há as casas de muro b...