terça-feira, 10 de setembro de 2013

Meu lugar



Ainda não te sei completamente, mas já respiro o teu mistério. Tateio no escuro a tua mão, procurando a carícia que ainda não me prometeste mas sei que reservas para a minha chegada. Desconheço os caminhos por que seguiremos, mas não tenho medo: o meu lugar será sempre aonde estiveres.

Aíla Sampaio


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Despejo

Meu corpo te deu ordem de despejo. Meu coração, não. Ainda pulsa imberbe o desejo de atravessar a vida ...