Perder-te II





Perder-te seria como voltar ao casulo sem mais possibilidade de virar borboleta; voltar ao marco zero do ventre que não mais fecunda. Eu só suportaria se pudesse dormir para sempre.

Aíla Sampaio



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ORAÇÃO

Calmaria

um poema inconcluso