terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Perder-te II





Perder-te seria como voltar ao casulo sem mais possibilidade de virar borboleta; voltar ao marco zero do ventre que não mais fecunda. Eu só suportaria se pudesse dormir para sempre.

Aíla Sampaio



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ele tinha o cheiro esverdeado do sereno que molhava a paisagem quando ela pela primeira vez o abraçou e sentiu como se entrasse num bos...