Amo-te






Amo-te. Não de agora que te conheço o rosto.
Amo-te desde a imagem desenhada em meus desejos.
Amo-te com o colorido dos romances românticos 
e as cores gris da realidade
sem janelas nem serenatas nem cavalo branco. 
Amo-te com a naturalidade de um pássaro que canta; 
de um rio que desliza suas águas na mansidão do dia, 
com a alegria da manhã que em mim nasceu.
Amo-te com os meus olhos, meus ouvidos, minha boca;
com o coração e a cabeça, amo-te 
e sinto a tua ausência com o corpo todo, 
como se a tua falta fosse a falta de um pedaço meu.
Aíla Sampaio



Comentários

  1. Aíla, hoje domingo, chovendo aqui em Florianópolis, eu tive o prazer de encontrar você em seus escriitos. Maravilhosa!!!! Sem palavras! Fiquei fascinada! Forte abraço e que continue sempre escrevendo para nossas almas.Bjs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ORAÇÃO

Calmaria

um poema inconcluso