segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Como se




Conheço cada centímetro do teu olhar,
as cores todas do arco-íris
que ele desenhava
em meus cabelos,
quando teus dedos neles amanheciam
feito pássaros pousados.
Conheço cada milímetro do teu corpo,
as infinitas versões do amor
que desenhávamos
nos lençóis
e as das que ficaram para depois,
subtendidas nas promessas que não nos fizemos.

Olho-te  e sinto
como se te conhecesse desde sempre, 
como se te pertencesse de antigamente a minha história;
como se, saídos de dentro do tempo para o infinito,
 tivéssemos nos acolhido definitivamente,
depois de tantos séculos um do outro perdidos.

AílaSampaio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por enquanto

O sopro do vento arrastando as folhas A chave enferrujada na porta A jaqueta perdurada no silêncio. Somente seu olhar ...