segunda-feira, 26 de março de 2012

Só eu sei



Danço sobre as cinzas do que fomos
como se tivesse ainda brasas sob os pés.

No revés da canção,
o silêncio
é indiferença ou medo?

Não importa a razão do que cala,
se o que fala nada diz.

Só eu sei como é pesado o destino de fênix
e o desejo de transbordar num recipiente fechado.

Aíla Sampaio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por enquanto

O sopro do vento arrastando as folhas A chave enferrujada na porta A jaqueta perdurada no silêncio. Somente seu olhar ...