Seremos sempre pronomes pessoais no singular... Não há plural quando as almas não se misturam. Eu e Tu...Tu e Eu, numa alternância de individualidades intocáveis, nunca Nós!

(Aíla)

Comentários

  1. É preciso dar oportunidade ao amor... precisamente o que disse no meu ultimo poema. É preciso esquecer as razões e dar uma chance ao amor. Parabens adorei passar por cá

    Beijinho

    ResponderExcluir
  2. Adoro as suas visitas, amigo poeta! Volte sempre!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ORAÇÃO

Calmaria