Onde?



Onde as minhas certezas, o destino traçado e a predisposição para a felicidade? De repente essa saudade sem endereço ou destinatário me acorda no meio da noite, faz pequeno o quarto, e acorda lembranças do que não vivi, do que poderia ter vivido. Tão incerta me vejo diante do espelho! Vontade de me dar ordens e fugir, mas não me reconheço na imagem que sorri irônica da minha pretensão. Haverá ainda alguma saída? O vento passou e eu não vi quando a porta bateu com as chaves do lado de fora...

Aíla


Comentários

  1. Aíla, a única certeza que temos é a incerteza.
    Se o vento fechou a porta, com as chaves do lado de fora, abra a janela e espere a volta do vento. Ele lhe trará, com alguma folha carregada pela sua passagem, a promessa de uma possível felicidade.
    Parabéns pelo texto.
    Rômulo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ORAÇÃO

Calmaria