quinta-feira, 9 de junho de 2011

Minhas dores


Minhas dores, guardo todas no porão da antiga casa assombrada em que moraram meus pensamentos.
Padecerão de abandono na minha coleção mais bizarra, mas nunca de esquecimento.


Aíla

3 comentários:

Desde os contos de fadas

Eu te esperava desde os contos de fadas, quando a esperança galopava um cavalo branco e os príncipes existiam; desd...