sábado, 5 de março de 2011

Silêncio antigo


 Há sempre uma casa
com seu silêncio antigo
e seus conhecidos fantasmas
a nos habitar.
Há sempre a memória
de um amor interdito,
dando a ilusão
de que felicidade é apenas
o que poderia ter sido.


O tempo vivido
guarda abismos que
devoram a carne do tempo.
O que nos pertence
é apenas o presente
(fugidio como uma brisa)
e a certeza de que eterno
é somente 
o que não se realiza.

Um comentário:

  1. Realmente, a gente costuma achar que o passado foi/é melhor do presente...

    adorei.
    Tenha um bom dia!

    http://mylosttear.blogspot.com/

    ResponderExcluir

À espera de um eclipse

Quando ouvi tua voz pela primeira vez, uma explosão de silêncios me fez entender que nunca mais eu seria a mesma pessoa. Teu ros...