Mar de sargaços


Esse mar que arrebenta dentro de mim,
com suas ondas em espirais,
inunda todos os vãos da minha alma
e, com a força dos dilúvios e dos temporais,
faz do meu corpo uma inabitável ilha.

Algas e sargaços me envolvem,
me invadem todos os dias,
e deixam no rastro das águas sombrias
o tumultuado silêncio
da indiferença - mortal armadilha.

Comentários

  1. Minha querida amiga.
    Lindo poema!

    Ah!!!pq me deletou da sua página? (Facebook)
    Lindas palavras de felicitações no meu aniversário,e sumiu de mim,mesmo antes de agradecê-la...
    Obrigada!
    Não inssistirei para q me retorne,mesmo pq a decisão é sua.
    Mas saiba q lhe quero mto bem,como pessoa,e como Poetisa que é...
    Estou extremamente sentida...
    Bjos! querida. (não sei o que lhe fiz) qualquer coisa,desculpe-me.
    Val

    ResponderExcluir
  2. Valzinha

    estou viajando amanhã para Buenos Aires. Quando retornar, refaço a minha página. Adoro você, querida, jamais lhe excluiria. Me mande o seu e-mail... Bjs Aíla

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ORAÇÃO

Calmaria

um poema inconcluso