quarta-feira, 16 de março de 2011

STOP




A vida não parou, Drummond.
Nem o automóvel.
Todos seguiram.
Só eu fiquei imóvel
a ver navios encalhados,
como quem perdeu
o bonde e a esperança...



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para não te esqueceres

Para não te esqueceres das verdades que me dizias brincando, há as ruas que não mais atravessas comigo, há as casas de muro b...