Canto das sereias

Era quase noite em teus olhos
quando os vi pela primeira vez
e pintei o mundo de verde-esperança.
Era ali, dentro das tuas negras pupilas,
que a vida se redesenhava como um mar
de calmas ondulações.

Tão simples o amor, pensei,
sem imaginar que, pela rimeira vez, 
ouvia o canto das sereias
e me perdia em turvas águas
de diabólicas paixões.

Comentários

  1. Tua poesia me enternece, acorda meus sentidos... só não compreendo porque tão triste.
    Abs lusos do Nico

    ResponderExcluir
  2. Discordo!
    Onde está escrito "tristeza", leia-se: "poesia".
    bj

    ResponderExcluir
  3. gostei bastante do seu blog.

    parabéns e sucesso!

    excelentes energias pra vc!

    ResponderExcluir
  4. Concordo que há tristeza, como em todo mundo. E a autora tem poesia e coragem para confessá-la.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ORAÇÃO

Calmaria

um poema inconcluso