quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Dentro dos livros


Quando ele perdeu o cheiro de chuva

que me acordava nos dias quentes,

escondi-me dentro dos livros

transformada em palavra escrita. 
 

A vida,

como uma frase evasiva,

fez os dias 
 
terminarem sempre numa página arrancada

para que nunca se lesse

a paisagem dos meus pensamentos

recentes

ora incertos como arbitrárias vírgulas

ora suspensos por longas reticências...



Quando ele perdeu o cheiro de chuva

que arrancava a poesia dos meus desertos

nos transformamos apenas em

personagens de livros diferentes.



Aíla Sampaio


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para não te esqueceres

Para não te esqueceres das verdades que me dizias brincando, há as ruas que não mais atravessas comigo, há as casas de muro b...