segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Recomeçar



Quero as portas abertas, o vento atravessando a casa, e o sol brilhando nas cerâmicas da varanda. Quero a rede armada e o lençol macio, o banho frio no calor e a cama arrumada para a sesta; quero o livro marcado e o copo d'água ao lado; um lápis com ponta e um papel em branco. Quero a TV pra não ligar e a janela entreaberta para os barulhos da rua. É assim que a vida se espalha pelo chão, de pés descalços e roupa lavada.... É assim que quero recomeçar a ser só e bastar-me. 


Aíla Sampaio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ele tinha o cheiro esverdeado do sereno que molhava a paisagem quando ela pela primeira vez o abraçou e sentiu como se entrasse num bos...