terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Desafio



Vencer a dor é o nossso maior desafio. A dor de não ter uma alma que caiba no corpo; de não poder deter o tempo para que a felicidade não acabe; de não conseguir que os que amamos nunca partam para sempre; de, muitas vezes, aprisionar a natureza para ajustar-nos aos outros. É a dor de existir com a consciência da efemeridade que nos leva ao desespero da posse, ao amor demasiado, a dilacerar-nos quando não podemos impedir o sofrimento dos que nos são caros. Somos impotentes diante do icognoscível, daí a alma em fratura exposta, o coração em carne viva a remendar-se somente com a certeza de que  Deus existe e sabe o sentido de tudo o que está posto inexoravelmente em nosso destino. Resta-nos, diante disso, duas alternativas: ou confiamos e seguimos distraídos da própria precariedade ou passamos a vida extraviados na dor do irremediável.

Aila Sampaio




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Despejo

Meu corpo te deu ordem de despejo. Meu coração, não. Ainda pulsa imberbe o desejo de atravessar a vida ...