Certos amores




Na insensatez dos botões,
os nós desatados,
os atos impensados, 
lobos a uivar na noite
dentro de dois corpos
navegando em alto mar. 

Qual dos dois deixará o barco 
antes do amanhecer?
Logo se saberá.
Em alguma teia do destino
traçou-se o desencontro
amarrado na certeza
de que certos amores 
só vingam em lençóis de areia, 
jamais nos de seda.

Aíla Sampaio

Comentários

  1. olá..
    passeando pela blogsfera me deparei com este teu belo cantinho..
    que delícia de blog!..
    já te sigo!..
    e vou degustá-lo com calma neste feriado..
    beijos Aíla.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Ingrid. Volte sempre! Beijos! <3

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ORAÇÃO

Calmaria