quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Certos amores




Na insensatez dos botões,
os nós desatados,
os atos impensados, 
lobos a uivar na noite
dentro de dois corpos
navegando em alto mar. 

Qual dos dois deixará o barco 
antes do amanhecer?
Logo se saberá.
Em alguma teia do destino
traçou-se o desencontro
amarrado na certeza
de que certos amores 
só vingam em lençóis de areia, 
jamais nos de seda.

Aíla Sampaio

2 comentários:

  1. olá..
    passeando pela blogsfera me deparei com este teu belo cantinho..
    que delícia de blog!..
    já te sigo!..
    e vou degustá-lo com calma neste feriado..
    beijos Aíla.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Ingrid. Volte sempre! Beijos! <3

    ResponderExcluir

Desde os contos de fadas

Eu te esperava desde os contos de fadas, quando a esperança galopava um cavalo branco e os príncipes existiam; desd...