quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Uivos do passado





Quero morar em ti, erguer paredes de afeto
e dormir de portas abertas para o mar.
Ancorar meus pensamentos em teus olhos
e abrir uma fresta no tempo
pra escutar os uivos do passado em que te deixei.

Quero voltar os ponteiros do relógio,
refazer o calendário e criar a eternidade
para que não sejas mais apenas um retrato
ou palavras soltas na pele do meu poema!

Aíla Sampaio







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por enquanto

O sopro do vento arrastando as folhas A chave enferrujada na porta A jaqueta perdurada no silêncio. Somente seu olhar ...