sexta-feira, 25 de maio de 2012

Ainda



Eu ainda preciso de ti. Do teu suor escorrendo em minha pele; do teu cheiro de mar quebrando nas pedras; do teu sorriso desenhando a lua em meus olhos, como se a noite começasse para sempre. Eu preciso de ti, para que o sol entre pela janela nas manhãs de chuva e o silêncio não seja uma sentença de morte. Mesmo longe, mas ao alcance do meu pensamento, eu preciso de ti, para que a vida pareça sem fim e o mundo não acabe antes do previsto.


AílaSampaio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Despejo

Meu corpo te deu ordem de despejo. Meu coração, não. Ainda pulsa imberbe o desejo de atravessar a vida ...