Amenidades




Sem saco pras coisas sérias. Ando carente de amenidades, calçadas largas para andar e conversas de bar. Nada de teorias ou planos. Nem de saudades desgastadas pelo uso. Quero o momento e seu vinho tinto pingando em minha boca o gosto de todos os pecados que ainda vou cometer.




Aíla Sampaio

Comentários

  1. Eu também quero amenidades.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Aíla!
    É bom, às vezes, não ter juízo.
    Um abração

    Clotildes

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ORAÇÃO

Calmaria

um poema inconcluso