Recuso-me


Recuso-me a aprisionar-me no medo! Recuso-me a economizar afeto. Não compreendo a ideia de 'propriedade particular' quando me refiro a gente... só posso crer que sentimento de posse é sintoma de que não se descobriu ainda o sentido de unidade de todos os seres nesse planeta. Há pessoas que não crescem apesar dos anos esticados, que não introjetaram os inevitáveis sofrimentos como fortalecimento do tônus da alma... quem só vê maldade nas atitudes dos outros, quem só enxerga o lado pior das coisas, não passeou de mãos dadas com Dante e Virgílio... está ainda na escuridão. Tonta de claridade, dou-me, pois, o direito de não querer enxergá-los. 

Aíla

Comentários

  1. Olá amiga Aila

    Brilhante apontamento literario, realmente há certas pessoas que não querem aprender nada na vida, e apenas veem os aspectos negativos. A vida é muito mais que isso.

    Beijinho e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  2. Oi, António... a vida é bem mais que tudo isso...obrigada pela visita!
    Abs, Aíla

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ORAÇÃO

Calmaria

um poema inconcluso