segunda-feira, 11 de abril de 2011

Desvarios de maio


Desse olhar esgarçado sobre o poente
dessa lamúria que é o vento antes da chuva
fiz a tarde com seus desvarios de maio.
Não fosse hoje um domingo qualquer
eu teria motivos para não ler
e veria TV, bandeira branca a meio-palmo
e mansidão para seguir as procissões de Maria.

Mas não é assim o meu desenho
tão fácil de distinguir as cores e as linhas
rascunhadas. Surpreendem-me
vontades de sesta, sono profundo ao meio-dia
e saudades que não posso mais matar.
Tanta abstinência, tantas orações
e o coração não sara...
continua a sangrar ao menor esforço
e a me matar aos poucos todos os dias.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

À espera de um eclipse

Quando ouvi tua voz pela primeira vez, uma explosão de silêncios me fez entender que nunca mais eu seria a mesma pessoa. Teu ros...