terça-feira, 22 de março de 2011

Vulcão em lavas


Eu te olhei
como uma ave
com vontade de voar.
Abri as asas,
fiz sinal com os olhos,
depois vesti meu desejo
com palavras.

Tu, elemento da água,
e eu, da terra,
feito
vulcão em lavas,
desafiando o ar,
com uma só asa
e sem chão onde pousar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por enquanto

O sopro do vento arrastando as folhas A chave enferrujada na porta A jaqueta perdurada no silêncio. Somente seu olhar ...