quarta-feira, 23 de março de 2011

Feridas abertas


O tenebroso do tempo
não é o que ele leva,
mas o que ele deixa
em fratura exposta.

Rápido ele passa
com os bons ventos,
mas lento se arrasta
nas feridas abertas
que deixa à mostra.


3 comentários:

  1. Lindo esse poema sobre as fraturas expostas do tempo...Lindo seu blog!!!!

    beijo

    ResponderExcluir
  2. Professora,gostei muito do seu blog. Parabéns
    tem um blog de um amigo meu,acho q vai gostar,
    de uma olhada,
    http://linhasereticencias.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Tia!
    Gracinha o seu blog, viu?!
    Vou começar a fazer um também! rs...
    Saudades de vocês!
    Beijos

    ResponderExcluir

À espera de um eclipse

Quando ouvi tua voz pela primeira vez, uma explosão de silêncios me fez entender que nunca mais eu seria a mesma pessoa. Teu ros...