O peso dos dias


Se eu enlouquecesse
e borrasse o desenho da realidade
que nos afasta,
se eu desdenhasse
da dor que me aflige
e fingisse que ela está gasta
e não mais me atinge,
seria mais fácil
carregar o peso dos dias
e suportar as cinzas do tempo.
Mas não sei fazer de conta,
não sei representar.
Nunca soube ser levada pelo vento
ou tomar vinho para não morrer de sede.

Aprendi cedo que a verdade
está atrás do palco e não em cima dele.

Comentários

  1. Aíla,
    Vida e arte se imitam; talvez a verdade se esconda mesmo é no entreato. É quando sonhamos. As dimensões dos sonhos são o interlúdio da realidade, e às vezes se disfarçam em poesia.
    Carlos Vazconcelos

    ResponderExcluir
  2. Aila, minha querida, continuo em Dubai, longe de tudo e todos, mas sempre que posso venho aqui beber um pouco da tua sabedoria. Espero que a Chama Violeta continue te envolvendo. BjãOo
    Ricardo Pessoa
    Me manda noticias tuas ricardopess@yahoo.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ORAÇÃO

Calmaria

um poema inconcluso