quinta-feira, 17 de junho de 2010

PESADELO





Faz frio, muito frio
quando fico triste.
Tenho até febre
durante a noite que antecede
o desvario completo.
Faz frio e fica escuro o quarto vazio,
com o resto do teu cheiro de mar e ventania
fechando a minha boca
para eu não gritar.


Num impulso, tu agarras os meus cabelos
e me lanças a um fundo abismo
sem se importar com os meus gritos, o meu medo;
já descendo, a roupa ao vento,
eu acordo muda e com frio,
vejo a realidade, seu ar sombrio,
e peço, por tudo, que volte o pesadelo.

2 comentários:

  1. Aila,do jeito que você escreve parece que vive. O teu blog é um espaço de deleite. Parabéns.
    Beijos, Alípio

    ResponderExcluir
  2. Aila menina, prefiro acordar desse "amor de pesadelos"
    ...e se não for pra sonhar então que não me deixem dormir.

    Te abraço..me abraças!

    Erikah

    ResponderExcluir

À espera de um eclipse

Quando ouvi tua voz pela primeira vez, uma explosão de silêncios me fez entender que nunca mais eu seria a mesma pessoa. Teu ros...