sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Por enquanto






O sopro do vento arrastando as folhas
A chave enferrujada na porta
A jaqueta perdurada no silêncio.

Somente seu olhar
desenha a tela do agora
na desordem do meu espanto.


Tudo era.
Somente ela é

e
por enquanto.




Aíla Sampaio


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Despejo

Meu corpo te deu ordem de despejo. Meu coração, não. Ainda pulsa imberbe o desejo de atravessar a vida ...