sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Por enquanto






O sopro do vento arrastando as folhas
A chave enferrujada na porta
A jaqueta perdurada no silêncio.

Somente seu olhar
desenha a tela do agora
na desordem do meu espanto.


Tudo era.
Somente ela é

e
por enquanto.




Aíla Sampaio


Nenhum comentário:

Postar um comentário

A cidade

A cidade de me esconde entre ruas e esquinas, perdida em mim como suas avenidas entre semáforos e arranha-céus. Não sabe do mundo intei...