terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Mais um ano termina...





A cada ano que termina tenho a impressão de que se fecha um novo ciclo. Impressão apenas, porque do dia 31 de dezembro passamos para 1 de janeiro sem que mude a cor dos nossos olhos, sem que a conta bancária engorde ou os planetas mudem de rota. Mas o que é a vida senão impressões? Tudo é simbólico e nos chega pela representação que fazemos. Se eu penso que tudo se modifica porque o ano virou, se eu penso que terei dias melhores e os meus projetos tão adiados se realizarão, vai ver que será assim mesmo. O querer e o pensar têm força. Dizem. Pode ser que sim. Na dúvida, vou à luta: sonhando, imaginando, realizando. Esperando o melhor, transformando o 'pior' que à vezes recebo... imperfeita como sempre, mas sem pretensões de canonização... Quero apenas melhorar, sair do vermelho emocional, criar laços que não desatem tão fácil, rir mais junto aos que amo, ser mais compreensiva com os que estão vivos mas ainda não nasceram... (Ò Deus, onde paciência com os imaturos que não querem sair do verde nunca???). Continuarei preferindo fazer inimigos com a minha sinceridade a fingir um samaritanismo que não me identifica! Feliz vida a todos!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por enquanto

O sopro do vento arrastando as folhas A chave enferrujada na porta A jaqueta perdurada no silêncio. Somente seu olhar ...