terça-feira, 21 de maio de 2013

Despedida

 


Na despedida, ele colocou esperanças desbotadas nos olhos dela, como quem planta uma semente seca em terreno fértil. Nada floresceu além de lembranças encardidas e  alguns versos desagasalhados.

 
Aíla Sampaio





Um comentário:

  1. Promete, na despedida.
    Mas a partida se despe
    Da presença e o amor se encrespe.
    O que fica? Nada, a Ida.

    O POETA DE MEIA-TIGELA

    ResponderExcluir

Desde os contos de fadas

Eu te esperava desde os contos de fadas, quando a esperança galopava um cavalo branco e os príncipes existiam; desd...