segunda-feira, 11 de junho de 2012

Desertos




Das minhas moradas no deserto, 
ficou a dureza da vida permanentemente ao sol. 

De vez em quando ainda sinto o vento 
espalhando areia em meus olhos, 
a boca seca 
e a sensação de que toda hora é meio-dia.

AílaSampaio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por enquanto

O sopro do vento arrastando as folhas A chave enferrujada na porta A jaqueta perdurada no silêncio. Somente seu olhar ...