quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Menina-pássaro



Para Fátima Perrone

Como um pássaro que teve o seu voo interrompido por uma ventania, como um relâmpago que riscou o céu com os seus raios,
tu fizeste repentino silêncio e, mesmo assim, te fizeste ouvir.
É que deixaste um rastro de luz por onde passaste
e tua história ficou escrita em cada coração que tocaste.
Agora, és um anjo no infinito, és um grito preso na garganta
dos que te amaram; és um poema inconcluso,
uma saudade sem alento.


Vai, menina-pássaro, ocupa teu espaço entre as estrelas,
ergue a tua bandeira pintada de alegria
e brilha encantada no firmamento!


Aíla Sampaio

Um comentário:

  1. Belíssimas palavras que descreve bem a beleza de uma VIDA de uma 'menina-pássaro. E, "Agora, és um anjo no infinito, és um grito preso na garganta
    dos que te amaram;". Resta guardar o sorriso e palavras proferidas de afeto.

    Um abraço,
    Margleice

    ResponderExcluir

Por enquanto

O sopro do vento arrastando as folhas A chave enferrujada na porta A jaqueta perdurada no silêncio. Somente seu olhar ...