terça-feira, 1 de novembro de 2011

Falsidade



Sou fácil de gostar. Meu coração elastece rápido; é crédulo e vê-se a si mesmo em cada outro. Estende tapete vermelho a quem chega, usa sua melhor louça e convida logo pra festa. Mas, descoberta qualquer fraude, se encolhe com a mesma rapidez, desgosta com a mesma avidez; recolhe o tapete, os pratos e os talheres, descrer irreversivelmente. Fecha-se com travas pesadas quando descobre gente falsa ciscando no quintal... Essa espécie sedutora engana bem... é como qualquer cafajeste que se preze: delicado e cheiroso, mas não vale o sapato que usa. Até pode saber chegar, mas nunca sabe sair sem bater a porta e sujar o tapete...


Aíla Sampaio

Um comentário:

  1. Deve ser muito ruim gostar de alguém tão desprezível assim...
    Beijos

    ResponderExcluir

À espera de um eclipse

Quando ouvi tua voz pela primeira vez, uma explosão de silêncios me fez entender que nunca mais eu seria a mesma pessoa. Teu ros...