domingo, 26 de junho de 2011

Teu silêncio



Pesa-me o teu silêncio,
essa pergunta sem resposta,
que me incomoda
como uma pedra jogada num lago
atormenta as águas

Dizes tanto
mas são tão confusas as vozes
que mais parecem
um torvelinho de mágoas.

Aíla

Um comentário:

  1. PARA AILA SAMPAIO, SILENTEMENTE

    Calas e o teu rosto sério
    Me diz o que não silabas.
    O silêncio em que desabas
    É tão denso e tão etéreo...

    ResponderExcluir

Por enquanto

O sopro do vento arrastando as folhas A chave enferrujada na porta A jaqueta perdurada no silêncio. Somente seu olhar ...