quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Para te esquecer

Para te esquecer
é preciso fugir ao destino
desdizer o já dito
apagar o que estava escrito;
é preciso aprender o silêncio
da cumeeira das casas
saber viver sem abrigo
e aprender a voar sem asas.

Para te esquecer era preciso
nascer Zeus e enganar o Tempo
ou até mesmo nem ter nascido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Despejo

Meu corpo te deu ordem de despejo. Meu coração, não. Ainda pulsa imberbe o desejo de atravessar a vida ...