quinta-feira, 12 de março de 2009

MENTIRA


O desespero do mar
a quebrar nas pedras
é não poder tocar o céu
e viver essa ilusão
que os nossos olhos criaram
num ponto distante

Igual é o meu motivo
de ser triste:
ser lua e saber-te sol
viver da tua luz
sem poder ver que é
em mim que ela inside

De nada adianta eu pensar
que és minha fonte de vida
se o que eu sonhava - o eclipse -
é mentira, tal
o encontro do céu com o mar
na distraída linha do horizonte

Aíla Sampaio
11/02/2009

3 comentários:

Por enquanto

O sopro do vento arrastando as folhas A chave enferrujada na porta A jaqueta perdurada no silêncio. Somente seu olhar ...