sexta-feira, 25 de maio de 2012

Ainda



Eu ainda preciso de ti. Do teu suor escorrendo em minha pele; do teu cheiro de mar quebrando nas pedras; do teu sorriso desenhando a lua em meus olhos, como se a noite começasse para sempre. Eu preciso de ti, para que o sol entre pela janela nas manhãs de chuva e o silêncio não seja uma sentença de morte. Mesmo longe, mas ao alcance do meu pensamento, eu preciso de ti, para que a vida pareça sem fim e o mundo não acabe antes do previsto.


AílaSampaio

domingo, 20 de maio de 2012

Filha do circunstancial


 Sempre tive resistência a fórmulas e fôrmas; sempre a minha tesoura foi desobediente a formatos, modelos, linhas retas e curvas... a tudo o que já vem com picote, rótulo ou carimbro de 'pronto'. Sou senhora dos improvisos, filha mesmo do circunstancial... Só o meu coração tem casa e gosta de estabilidade. Todo o meu resto é filho do imprevisível.

AílaSampaio

Quedas



Depois da queda, o desafio é reaprender a andar, readquirir confiança nos passos e fixar um horizonte. Entender a sua finalidade, só com reflexão e sabedoria: às vezes ela é o impulso para se ganhar velocidade e ir mais longe; às vezes é um sinal de que precisamos ir mais devagar para não ficar no meio do caminho.

AílaSampaio

Mais um enigma


Quando eu pensava que nada mais moveria os ponteiros daquele relógio parado, esquecido entre os guardados que não se utiliza mas não se quer jogar fora, eis que eles se movimentam como se bombeassem sangue novo para o velho coração. Foi tanta a surpresa que perdi as palavras e o chão, mas continuei caminhando, esperando as respostas que o tempo ainda não trouxe para as perguntas que eu não fiz, mas estão em fratura exposta sobre os dias, as horas, as semanas e os meses que parecem não ter passado a cada vez que o telefone toca e o teu nome pula dentro dos meus olhos. Foi outra vez o inesperado que abriu fendas na terra árida e plantou flores... não sei se irei colhê-las, mas poder vê-las da minha janela já é um bom motivo para abrir a minha caixinha de segredos e guardar mais um enigma.

AílaSampaio

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Sou


Sou intensa, trago a vida em superdoses, daí os mais inusitados efeitos colaterais. Mudar? Como? Sou naturalmente sem trégua, sem fio que desligue. Tudo em mim é intermitente e grita urgência. Aprender a espera, apaziguar as guerras íntimas (minhas-tuas-nossas) são desafios diários dilacerantes e intransferíveis. Não tenho culpa de ser irremediável...

AílaSampaio




sexta-feira, 4 de maio de 2012

O meu tempo


 
Faço e desfaço anos todos os dias, pois o meu tempo tem  a sua própria intensidade, que nem sempre corresponde à organização dos calendários. Vivo meses em semanas e décadas num só numa noite. Posso viver a eternidade num momento e desviver por semanas se perco as vontades e os motivos pra acordar, pôr os pés no chão e encarar o mundo. Meu ritmo não é o dos relógios; é o das batidas do meu coração, quase sempre desobediente às ordens e às regras. Meu tempo é HOJE todos os dias...

AílaSampaio

À espera de um eclipse

Quando ouvi tua voz pela primeira vez, uma explosão de silêncios me fez entender que nunca mais eu seria a mesma pessoa. Teu ros...