terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Final de ano



Final de ano, período de balanço, limpeza das gavetas e do coração... é preciso esvaziar a memória, abrir espaço para novos arquivos, renovar as esperanças e edificar novos sonhos. Um ano termina, o outro começa, e a vida continua em seu fluxo inexorável. É imprescindível fechar as portas para o que passou, deixar ir o que na verdade já se foi, mas ficou aprisionado no nosso desejo de que ficasse. É preciso compreender que só quando nos libertamos do passado podemos viver o presente e enxergar as possibilidades e os caminhos que nos esperam... só com o coração desocupado de mágoas e o olhar desarmado se pode enxergar o verde crescendo por detrás das janelas da alma!

Aíla Sampaio

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

De repente



Era verão em mim
quando tuas mãos faziam sol
em meu corpo
e o mar avançava olhos adentro
azul de tanto desejo.

De repente, o outono no deserto
        e         
no criado-mudo
tudo reduziu-se a uma fotografia.

Aíla Sampaio

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

A distância



Ele me olha como se eu tivesse uma porta pro infinito.
Como se quisesse desocupar-se de si mesmo
e habitar meus pensamentos mais secretos.
Ele me deseja como se eu fosse a única
e o mundo fosse acabar;
não quer o céu, não teme o inferno,
não purga sofrimentos nem experimenta a felicidade
que eu lhe poderia dar.
Vive tudo a distância,
certo de que não me terá nem perderá nunca.

Aíla Sampaio

Só quando foste embora senti que estar contigo era andar com um sapato menor que o pé...



Aíla Sampaio

À espera de um eclipse

Quando ouvi tua voz pela primeira vez, uma explosão de silêncios me fez entender que nunca mais eu seria a mesma pessoa. Teu ros...